10 anos de atividades

Primeiro Site

Segundo Site


Site atual




Há 10 anos o Laboratório de Demonstrações (Labdemon) da Universidade Federal do Pará (UFPA) recebia a primeira visita de uma escola, o Núcleo Pedagógico Integrado (NPI), atual Escola de Aplicação da UFPA (EA), para apresentação de conteúdos de Física por meio de experimentos lúdicos e interativos. A partir desses primeiros passos, o espaço, que começou com instrumentos fabricados com materiais reciclados e de baixo custo, tem crescido e se modernizado cada vez mais, visando a qualificação do Ensino de Física.

Comemoração - O Labdemon, projeto da Pró-Reitoria de Extensão (Proex) da UFPA, atualmente coordenado pelo professor Elinei Pinto dos Santos, foi criado para interagir diretamente com a Educação Básica, principalmente com o Ensino Médio, mas também são organizadas visitas especiais para o Ensino Fundamental. O espaço iniciou oficialmente suas atividades no dia 28 de maio de 2004, quando recebeu a primeira visita escolar. Os objetivos, desde o início, incluem ensinar e preparar os estudantes do Curso de Graduação em Física, para o ensino da disciplina de uma maneira mais interessante, utilizando demonstrações práticas em laboratório. Visite o site do projeto.

Experimentos - Sobre o objetivo do espaço e as atividades que são desenvolvidas no Labdemon, o professor e vice-coordenador do projeto, Luís Carlos Bassalo Crispino relata: “Nós continuamos utilizando materiais de baixo custo e recicláveis, para realizar experimentos sobre os conteúdos de Física de uma maneira bastante acessível e de fácil reprodução, e também de uma forma simples e emocionante. Por meio do lançamento de foguetes, eletrização de cabelos, etc., mostramos como estudar Física pode ser divertido, destacando também como os conteúdos estão presentes no cotidiano das pessoas. Estes conteúdos, que muitas vezes são de difícil compreensão quando apresentados em sala de aula, ganham vida dentro de um laboratório, especialmente quando os experimentos são de baixo custo e você pode reproduzir na sua casa e a qualquer momento”, enfatiza.

Física e Tecnololgia - Também completando 10 anos no mês de maio, está o projeto de extensão “Física e Tecnologia para a Escola”, atualmente coordenado pelo professor Marco Antonio Cunha Machado, que leva a Física Contemporânea e os principais desenvolvimentos tecnológicos que dela decorreram para escolas do Pará por meio de palestras que apresentam e utilizam vídeos produzidos pela Nasa e instrumentos como lasers. Dessa forma, a Física e a Tecnologia se aproximam mais do dia-a-dia dos alunos, principalmente do Ensino Médio. “Os conteúdos de Física Moderna foram removidos do Enem, então muitos alunos do Ensino Médio acabam só entrando em contato com o assunto durante as palestras do projeto”, conta o professor Luís Crispino.

Avanços - Segundo o professor Crispino, ao longo desses 10 anos o espaço tem se expandido em termos estruturais, em equipamentos e quantidade de pessoal – incluindo coordenadores, professores, bolsistas e colaboradores – sem contar com o número de escolas visitantes que cresce a cada ano. “Começamos de uma pequena sala, e hoje está sendo construído um prédio inteiro dedicado à Divulgação Científica”. Os ganhos e avanços também se fazem presentes nas transformações de quem passou por lá. “Os primeiros bolsistas do projeto, hoje professores que trabalham nas suas escolas, montaram réplicas do Labdemon e seguem realizando as suas experiências”, destaca Crispino.

O projeto também tem parceria com a Secretaria de Ciência Tecnologia e Inovação (Secti) do Governo do Estado, realizando muitas atividades no interior do Pará. “Hoje nós atendemos um público superior a 10 mil pessoas por ano. Os bolsistas viajam junto com a Secti para participar das Mostras de Ciência e Tecnologia em diversos municípios paraenses, propagando o conhecimento”, conta o vice-coordenador que acrescenta que após a conclusão do novo prédio a capacidade de atendimento às escolas vai aumentar muito. Este é um primeiro passo para criar um Centro de Difusão e Popularização de Ciência e Tecnologia na Amazônia, um espaço que atenda as diversas áreas do conhecimento científico.

Colaboradores - Diógenes Leão é professor de Física em escola pública há seis anos e foi um dos primeiros alunos a participar de um grupo que tinha a ideia de promover o experimento como uma ferramenta didática. A partir dessa equipe, da qual Diógenes participava, criou-se o projeto do Laboratório de Demonstrações que convidava incialmente alunos de escola pública para visitas. “É fundamental que se utilize uma base experimental para o ensino de disciplinas como Física, Química e Biologia. São ciências que começaram da experimentação. As aulas não deveriam ser maçantes como quando são ensinadas formalmente. O experimento é um facilitador. A aula se torna mais agradável e o aluno compreende melhor o conteúdo.”

“Eu trabalho com turmas de ensino médio. Uma experiência que a gente faz de eletroestática como com canudinhos que você atrita e eles grudam na parede, os alunos ficam fascinados. Com essa simples iniciativa você consegue instigar a curiosidade e a aprendizagem. Ter passado por aqui fez uma tremenda diferença para mim, hoje, em sala de aula. Hoje temos alunos, professores, mestrandos e doutorandos que contam que decidiram pela profissão após terem passado por aqui. Eu me sinto muito orgulhosa de ter feito parte da criação deste espaço”, conta Lizângela Almeida, que é professora de Física e foi aluna que participou da criação do Labdemon.

O projeto continua gerando frutos e chamando atenção dos alunos que ingressam nos cursos de graduação das universidades paraenses. Luís Gustavo Palheta entrou no Curso de Física da UFPA em 2012. “Eu soube do Labdemon, mas não entrei logo de cara. Um amigo meu me convidou para visitar e acompanhar as atividades. Eu percebi que os alunos gostam e se encantam. É diferente de só ver uma conta feita no quadro. Hoje eu participo ativamente, já até viajei pelo projeto e vi crianças, jovens e adultos participando, perguntando e vendo como funciona. Eu pretendo continuar aqui o tempo que for possível”, pontua.

Visitas - Para as escolas e professores de Física que tem interesse em visitar o espaço, basta telefonar e agendar o encontro. O funcionamento se baseia em módulos como Mecânica, Física Térmica, Eletromagnetismo, Ótica, Física Contemporânea, entre outros. As atividades feitas na apresentação dos módulos são simples e podem ser utilizadas posteriormente na explanação dos conteúdos em sala de aula pelos professores visitantes. Atualmente participam do laboratório, bolsistas e colaboradores, totalizando mais de 20 alunos trabalhando com visitas diárias. O Laboratório de Demonstrações é um projeto iniciado na Faculdade de Física do Instituto de Ciências Exatas e Naturais (ICEN) da Universidade Federal do Pará.

Serviço:
Visite o site do Labdemon.
Contatos: (91) 3201-7889

Texto: Brenda Maciel – Assessoria de Comunicação da UFPA
Fotos: Adolfo Lemos

 

Apoio

Banner Banner Banner Banner Banner